Cânion Fortaleza em Cambará do Sul

Há muito tempo tinha o desejo de conhecer melhor os Aparados da Serra, que para mim, moradora de Igrejinha (pertinho de Gramado), é relativamente perto, mas não tão perto que se eu poderia fazer tudo que eu queria em um bate-volta; era necessário se hospedar por lá.

A ideia era ver os Cânions de cima, pernoitar em Cambará do Sul em algum lugar onde pudesse vivenciar algo verdadeiro, e no outro dia descer até Praia Grande e fazer a Trilha do Rio do Boi, que fica dentro dos cânions. Tudo aconteceu como eu planejava e a experiência superou minhas expectativas.

Saímos de casa num sábado de manhã cedinho e voltamos no domingo à noite e só voltamos porque tínhamos que trabalhar no dia seguinte, hehehe, pois caso estivéssemos livres, com certeza ficaríamos no mínimo mais um dia para curtir a hospedagem e os arredores. Deste final de semana farei três posts, este aqui para dar dicas do Cânion Fortaleza, outro sobre o Rancho Tropeiro que foi a fazenda onde nos hospedamos e que tem muitos atrativos e outro da Trilha do Rio do Boi.

DSC_3974-2
Rancho Tropeiro Fazenda Parque
DSC_3945
rio que passa na propriedade da fazenda
DSC_4041-2
Trilha do Rio do Boi

O acesso para o Cânion Fortaleza é feito por Cambará do Sul e como passamos pelo centro para pegar um lanchinho para a trilha, acabamos nos deparando com um set de filmagem! Isso mesmo, estavam por lá alguns globais gravando um filme e claro que a Frida foi lá dar uma espiadinha; foi legal ter uma noção de como uma produção destas acontece. A cidade de Cambará é bem simpática, ajeitadinha e calma como eu esperava.

Para chegar até o Parque Nacional da Serra Geral, são 23 km de distância partindo do centro de Cambará e quase metade deste trajeto é por estrada de pedra, digo pedra mesmo, são muitas, tanto que nós, assim que pegamos a estrada de chão tivemos que parar por conta de um pneu que rasgou. Então, recomendo muita cautela para ir até o Cânion.

Chegando no parque você terá que se identificar, mas não é necessário pagar nada, aliás esse parque não tem infraestrutura nenhuma, apenas uma casa na guarita para abrigar os guardas.

Aí você terá que escolher uma das trilhas a fazer, caso não esteja disposto a passar o dia todo ali. Eu estava com a missão de ver os cânions de cima, então escolhi a trilha que leva até o mirante do Fortaleza.

Há também outras trilhas a se fazer neste lugar, como a da Pedra do Segredo, caso tenha tempo e disposição, com certeza será válido.

DSC_3904
vista do mirante do Fortaleza

As trilhas são sinalizadas e não há necessidade de guia, porém precisa-se ter muito cuidado pois não há proteção nenhuma nos “peraus” (como aqui são chamados os penhascos). Por este motivo não recomendo levar crianças neste parque a menos que você as segure no colo.

DSC_3902-2

A trilha que te leva até o Mirante leva 1h 30 minutos de caminhada (ida e volta, de esforço médio a moderado) e mais o tempo de contemplação, que não é pouco pois o lugar merece. Durante a trilha tivemos uma bela surpresa, encontramos uma raposa caminhando tranquilamente pela trilha.

DSC_3900

Gostaria de comentar que achei o Fortaleza mais bonito que o Itaimbézinho (visitado outra oportunidade); a vista é com toda certeza bem mais deslumbrante e compensa a falta de infraestrutura que no itaimbézinho se tem. Mas recomendo mesmo é ir nos dois cânios, e o bom mesmo é pegar uns 3 ou 4 dias de folga e curtir tudinho por lá.

DSC_3929

No Mirante a altitude alcançada é de 1167 metros, onde se consegue observar os paredões que no geral tem mais de 900 metros.

DSC_3905

Nos minutos que estive ali contemplando aquilo tudo fiquei imaginando como essa formação geológica aconteceu, a fissura sendo aberta lentamente pelo rio que ali corre e se aprofundando ao longo de milhões de anos até ficar neste ponto que está hoje.

DSC_3911

Em dias claros pode-se ver além da imensidão dos paredões até o mar; dizem que se vê a costa de Torres e cidades vizinhas, mas eu não tive essa sorte… porém fica a missão de ir tentando até conseguir ver as pedras de Torres, hehe.

Recomendações gerais:  levar um lanche,  bastante água, protetor solar e um boné, pois afinal tu estarás a mais de 1000 metros de altitude, mais pertinho do sol.

Próximo post será do Rancho do Tropeiro, até lá!

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: